quimera

.

Se me entrego inteiro a você,

me desiludo, não sei porquê.

Confiei demais e entristeci.

– Tantas mágoas que já esqueci.

.

Só queria mear o que sinto,

mas parece não entender

que me agrada e me dá prazer

vê-la bem na vida e não minto.

.

Mas parece que é sina sua

sempre querer mais e mais

mesmo que roube minha paz

(pois a amo), que me destrua.

.

Sua jornada é triste, amiga,

se segue a pensar deste jeito,

se segue negando o respeito,

desprezando quem a abriga.

.

Resta-me dizer boa sorte;

desejar que seja feliz.

Pra mim, me resta ser forte;

tentar não ser seu juiz.

3 Respostas to “quimera”

  1. Jilberto Says:

    É, meu caro poeta,

    Quantas vezes não nos decepcionamos porque o amor que tanto zelamos, ao final de tudo, não passa de uma triste quimera.

  2. Adenilton Says:

    Interessante, não conhecia essa adaptação para o termo quimera, além daquela figura mítica e grega.

    Parabéns pelo poema!

  3. Jaqueline Robespierre Says:

    Querido Osvaldo, de fato, a ingratidão sempre magoa. Por que será que a nossa quimera ainda permite que amemos quem não sabe receber o carinho que doamos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: